http://www.activespacetech.com/wp-content/uploads/2013/12/banner06.jpg

INFANTE

 

 

 

 

 

Identificação do projeto

Projeto nº: 024534 | POCI-01-0247-FEDER-024534, LISBOA-01-0247-FEDER-024534
Designação do projeto: INFANTE Satélite para aplicações marítimas e comunicações a partir de constelações
Apoio no âmbito do sistema de incentivos: Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (SI I&DT) | Programas Mobilizadores

 

Resumo do investimento

Investimento total: 9.170.960,93 Euros
Apoio financeiro da UE: 5.768.911,08 Euros
Apoio financeiro público nacional: 370.890,39 Euros


 

 

 

 

 

 

 

Síntese do projeto

O projeto INFANTE é uma iniciativa de I&D para o desenvolvimento e demonstração em órbita de um microssatélite, como primeiro componente de uma constelação dedicada a vigilância marítima, observação da Terra e comunicações.
O segmento Espacial do projeto inclui uma plataforma de micro-satélite, modular e de baixo custo, equipada com um sistema de comunicações baseado em rádio definido por software (cujas funções incluem networking, ranging e vigilância aérea e marítima); um sistema de propulsão para mudança e manutenção de órbita; mecanismos para abertura e orientação de painéis solares; e uma baía de carga com sensores para experiências científicas e validação tecnológica como SAR e câmara multiespectral.
No que respeita ao segmento de solo, o projecto inclui o desenvolvimento de um sistema para montagem, integração e teste expeditos, para suportar as actividades preparatórias inerentes a lançamentos frequentes; e um data hub para agregar, processar e disseminar informação, que suporte a oferta de serviços de negócio sustentáveis.
O projeto INFANTE é liderado pela TEKEVER e junta empresas portuguesas de referência como: a Active Space Technologies, Critical Software, GMV, HPS, Omnidea e Spinworks; centros de I&D reconhecidos internacionalmente como o CEIIA, FCT-UNL, FEUP, INL, IPN, ISEP, ISQ, ISR Lisboa, IT Aveiro ou a UBI; parceiros nacionais como a Edisoft, a Deimos Engenharia e a Optimal; utilizadores como o IPMA, ou o INIAV; e ainda organizações internacionais como a Innovation Academy for Micro-satélites da Academia de Ciencias Chinesa.
O INFANTE irá tirar proveito das oportunidades criadas pela emergência do New Space, para abrir espaço para novos atores, reduzir barreiras de investimento, criar novas linhas de negócio que reduzam a dependência institucional e criar as bases para afirmar Portugal como um país de primeira linha no sector Espacial.

Localização do projeto

• Almada
• Aveiro
• Braga
• Castelo Branco
• Coimbra
• Covilhã
• Lisboa
• Maia
• Óbidos
• Oeiras
• Ponte de Sor
• Porto
• São João da Madeira
• Tomar
• Vila Nova de Gaia
• Viseu